terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Mão Branca — Melô Do Mão Branca (1980)

Mão Branca — Melô Do Mão Branca — Download — Baixar
Boas pessoal, depois de ter partilhado entrevistas sobre o inicio do Rap tuga (+ o primeiro álbum), entrevistas sobre o inicio do Rap crioulo (+ o primeiro álbum), e entrevistas sobre o inicio do Rap brasileiro, hoje venho partilhar com vocês o primeiro álbum "RAP" lançado no Brasil (1980) (formato Vinyl) em download gratuito, (basta carregar no botão "DOWNLOAD" para baixar as músicas.
Mão Branca, “Melô do Mão Branca”, de Rocha, Carmem e Barra, compacto simples Sinter 2.171.603, 1980. O lançamento é anterior a 25 de maio, conforme o carimbo com esta data na capa e no selo de uma cópia que pertenceu à Discoteca AM Rádio Record. De acordo com Gerson King Combo, em mensagem de 22 junho. 2014, a letra é de Pedro da Luz e Robert Livi. Uma letra com o mesmo nome aparece no website da Fundação Paulo Coelho datada de 1º de janeiro de 1980, mas não é a mesma gravada por King Combo. Hérica Marmo explica: a letra é de Paulo Coelho, mas Livi e Luz assumiram a autoria; o grupo Famks, que mais tarde se lançaria como Roupa Nova, gravou o instrumental; a Polygram relançou o compacto sob o nome de Gerson King Combo em 1984, mas a autoria continuou sob sigilo. Ver Hérica Marmo, A canção do Mago: a trajetória musical de Paulo Coelho, São Paulo, Futuro, 2007, 182–184.
POST / DOWNLOAD EXCLUSIVO ★
 Mão Branca - Melô Do Mão Branca 

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Biografia — Rap Brasileiro (A História)

O Rap chegou ao Brasil no final dos anos 1980, com grupos de periferia que se reuniam na Galeria 24 de maio e na estação São Bento do metrô de São Paulo, lugar onde o movimento punk começava a surgir. Nesta época, as pessoas não aceitavam o rap, pois consideravam este estilo musical como sendo algo violento e tipicamente de periferia. Os primeiros a frequentarem o local foram os dançarinos de breakdance, o principal tipo de dança hip hop. O dançarino Nelson Triunfo é considerado um dos primeiros dançarinos de breakdance do país. Dentre estes b-boys, muitos acabaram decidindo serem rappers, como são chamados os cantores de rap. Apelidados de "tagarelas", tiveram que se mover para a Praça Roosevelt porque houve uma divisão de grupos para cada um continuar difundindo um pilar da cultura hip hop em cada lugar. Pouco tempo depois, os rappers tornaram-se os principais representantes do movimento no Brasil. Foi de colaboração essencial para o desenvolvimento do rap no país a apresentação do popular grupo americano Public Enemy, em 1984. Através dele foi apresentado o rap a um número grande de pessoas e começou a se difundir rapidamente entre a periferia dos grandes bairros.
Em 1987, foi lançada "Kátia Flávia" pelo cantor e ator carioca Fausto Fawcett, considerado o primeiro rap do respectivo estado. O primeiro álbum exclusivo de rap brasileiro que se tem notícia é "Hip-Hop Cultura de Rua", lançado em 1988 pela gravadora Eldorado e produzida por Nasi e André Jung, ambos integrantes do grupo de rock Ira!. Nele foram apresentados artistas como Thaíde e DJ Hum, MC Jack e Código 13. O destaque ficou por conta de Thaíde, que interpretou os clássicos versos: "Meu nome é Thaíde /Meu corpo é fechado e não aceita revide". As bases do disco eram baseadas em funks americanos e acompanhadas espontaneamente de scratches feitos pelos equipamentos de DJs. No mesmo ano, a segunda coletânea foi lançada e projetou um dos maiores grupos da história do rap brasileiro, os Racionais MC's.
"Consciência Black, Vol. 1", reuniu oito faixas, dentre elas "Tempos Difíceis" e "Racistas Otários" dos Racionais. Formado por Mano Brown, Edy Rock, Ice Blue e KL Jay, o grupo apresentou para a mídia um rap voltado mais para a desigualdade na periferia e as injustiças sociais com a raça e cor dos membros. Outras compilações da década de 80 foram Ousadia do Rap, de Kaskata's Records, O Som das Ruas, de Chic Show, Situation RAP de FAT Records. A maioria destas gravadoras surgiram de pessoas que organizavam bailes blacks nos anos passados. Com a mudança na política da capital paulista, foi criada em agosto de 1989 a MH2O, abreviatura de Movimento Organizado de Hip Hop no Brasil, que posteriormente se tornaria uma organização não-governamental e estando presente em quatro das cinco regiões do país. Este movimento organizou a cultura hip hop, dividindo em seus principais pilares e organizando as primeiras oficinas culturais. A MH2O pode ser considerada como a responsável pelo novo tema abordado nos raps, que antes eram feitos com base em piadas e histórias quaisquer.
Documentário "Nelson Triunfo" (O Pai do Hip Hop Brasileiro) 

 Documentário "História do Hip Hop no Brasil" (Resumo) 
Talvez também possa gostar dos seguintes post's: (Carrega Nas Imagens) 
  
   Rap Crioulo (História)
              
                    General D (EP Download)
              
                     Mão Branca (Download)
              
                   General D (Biografia)
               
                     Cabo Alliance (Download)

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Cabo Funk Alliance ‎— Hoje É Quel Dia (1995)

Cabo Funk Alliance ‎— Hoje È Quel Dia ‎— Download
Rap - Hip Hop - Crioulo - Kriolo - Criolo - Kriolu - Krioulu - Cabo Verde
Boas pessoal, depois de ter partilhado ontem, o primeiro post dedicado ao Rap Crioulo, hoje venho partilhar com vocês, talvez o primeiro álbum de Rap Crioulo, lançado no mercado "Hip Hop" (+ 2 mixtapes cassetes 1994 & 1995). Eu digo talvez, porque sei que em Cabo verde, em 1995, saiu um outro álbum de Rap Crioulo, mas como em 1994 o grupo 'Cabo Funk Alliance' já tinha lançado uma primeira cassete, e a segunda que saiu em 1995, então eu penso que o primeiro grupo de Rap crioulo sejam eles, (atenção! eu digo, "primeiro grupo" a lançar um trabalho discográfico no mercado). Mas porquê ninguém nunca falou deste grupo??? ‎— Eu penso que nunca ouvimos falar neste grupo (em entrevistas, documentários etc...), porque o grupo não nasceu em Portugal, nem em Cabo verde, mas sim em "Rotterdam" (na Holanda). Pois é pessoal, foi no fim dos anos 80' que "Cabo Funk Alliance" (imigrantes e filhos de imigrantes cabo verdianos), se encontram e se formam, fizeram parte do gupo: Vortex Guardian a.k.a Angel Ice, Jay-B, G Mendes Edie G a.k.a Eddy Fort Moda Grog, Nuba entre outros...a primeira tape Cabo Alliance — "CouNtDown", saiu em 1994, eles aindam rimam só em inglês, na segunda mixtape, já conta com 3 faixas em crioulo, e o álbum, também lançado em 1995, já é todo em crioulo.
 POST / DOWNLOAD EXCLUSIVO ★

Cabo Alliance ‎ CouNtDown  Download - 1994 (7 faixas da cassete na pasta Download)
 Cabo Alliance ‎ Cabo Alliance Vol.2  Download - 1995 (7 faixas da cassete na pasta Download) ★
 Cabo Funk Alliance ‎- Hoje e Quel Dia (Álbum 1995) 
3 faixas para escuta (duas do álbum e uma da segunda cassete) 
PAGINA FACEBOOK DOS "CABO FUNK ALLIANCE"

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Biografia — Rap Crioulo

Rap - Hip Hop - Crioulo - Kriolo - Criolo - Kriolu - Krioulu - Cabo Verde
Como já tinha anunciado na apresentação do novo blog "As Nossas Raizes Vol.2", o blog vai ter uma nova rubrica dedicada ao Rap Crioulo, então depois de uma longa busca sobre o movimento Hip Hop, e sobre os artistas do Rap "Crioulo" (velha escola), ficam aqui 2 documentários (1994 & 2007), mais uma pequena biografia feita pelo cota "Redy Wilson Lima": Em Cabo Verde, mais concretamente nas cidade da Praia e Mindelo, tendo o hip hop sido importado dos States nos finais de 1980, em moldes B-boy, só em meados dos anos de 1990 o rap ganha fama, impulsionado pelas campanhas políticas de 1995/6. Sendo verdade que Heavy H é uma das referências, grupos como -->Niggaz Badio<--, Chipi Girls na Praia e Black Company, IPV, -->Bairro Norte<-- ou PTR no Mindelo podem ser considerados old school… foi o manager Gugas Veiga quem abriu a porta. Em 2000, há o boom e o nascimento da geração thug, antes geração yo. O rap chega à periferia dos dois maiores centros urbanos do país, alastrando-se mais tarde para outras regiões (Assomada, Tarrafal, Santa Cruz, Porto Novo…). Em termos de estilos, existe o pop rap (Central Side), o rap kizomba (Djédjé), o gangsta rap (Karaka), o rap radical (GPI-Knowledge), o rap thug (Caixa Baixa), o rap gospel (Nax Beat) e o rap afrocêntrico (HipHopArt).
O Rap é Uma Arma (1994) [Entrevista completa - 4 partes] 

Nu Bai - O Rap Negro de Lisboa [Gravado entre 2003 e 2007] 

 As "Tchipie" um dos primeiros grupos Rap Crioulo feminino em Cabo Verde (Praia) 1995 
Talvez também possa gostar dos seguintes post's: (Carrega Nas Imagens) 
 
 General D (EP Download)
              
                      Mão Branca (Download)
              
                    Raiz do Rap Tuga
              
                   Rap Brasil (História)
              
                    Cabo Alliance (Download)

General D — Portukkkal é Um Erro (1994)

General D — Portukkkal é Um Erro  — Download  — Baixar
Boas pessoal, depois do post sobre as raízes do Rap Tuga, e da biografia (completa) do "General D", tinha que começar pelo primeiro álbum (Rap Tuga) lançado em Portugal! Relembro que fui eu que partilhei este EP pele primeira vez na net, atravès do antigo blog "As Nossas Raizes". Amanhã, novo post dedicado ao Rap Crioulo, fiquem atentos, peace.
Rap - Hip Hop - Tuga - Rap Português
Artista: "General D" - Nome do Álbum: "Portukkkal é um Erro"
Ano: 1994 - Tamanho: 34 MB - Formato: Mp3 - Qualidade Som: 320Kbps
(Com capa de CD integrada no leitor)
Escuta completa do EP: Videoclip + 2 faixas 
PAGINA FACEBOOK DO GENERAL D

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Biografia — General D

"General D" é músico e compositor, activista e velocista pelos direitos e pela responsabilidade e consciência dos seres humanos na transformação do mundo. Um mundo que é nosso e que é o nosso movimento e que é também a nossa própria transformação. Somos uma espécie de pioneiros. Não há pais nem filhos, somos os pais e os filhos. 'General D' é natural de Maputo, Moçambique e nasceu a 28 de Outubro de 1971. Os primeiros anos de vida são sempre muito importantes na formação das pessoas. Com dois anos sai de Moçambique, passa por Angola e chega com a família a Portugal, onde vive durante vinte e oito anos, até 1999.
Excelente desportista e com um primeiro sonho onde os olhos estavam postos no futebol, foi recordista regional dos cem metros de atletismo e campeão regional de velocidade na modalidade de 4x100. Mais tarde foi também candidato a deputado ao Parlamento Europeu pelo Movimento Política XXI e Porta-Voz da Associação SOS Racismo.
Desde sempre as suas raízes culturais têm extrema importância na sua vida. General D encontra no Rap a sua forma de expressão e organiza o primeiro festival Rap em Portugal/Almada, em 1990, no Incrível Almadense. Esse acontecimento conta com a participação de vários ícones da cultura urbana portuguesa e lisboeta da época, como os Black Company, os Líderes da Nova Mensagem, ou os African Power, entre outros. Alguns anos depois General D torna-se o primeiro rapper nacional a assinar um contrato discográfico, no caso, com a EMI-Valentim de Carvalho. 
Em 1994 é editado o EP PortuKkkal É Um Erro que inclui três temas e que conta com a participação do grupo coral cabo-verdiano Finka Pé. O disco foi polémico, as suas letras ditas “corrosivas” ou “virulentas” foram recebidas com estranheza por parte da crítica e do púbico. Contudo General D chega às indústrias e às plataformas nacionais e internacionais, com impacto determinante em França e com boa receptividade em Inglaterra e em Espanha. Em Portugal destacam-se as participações no Festival Imperial, na cerimónia dos Prémios do jornal Blitz onde recebe o título de “Melhor Artista”(1994), na Festa do Avante e no álbum "Timor Livre", espectáculo gravado no Centro Cultural de Belém, de solidariedade para como o povo de Timor, onde também participam Delfins, Rui Veloso ou Luís Represas, e em que "General D" interpreta dois temas. Em 1995 edita o álbum de estreia Pé na Tchôn, Karapinha na Céu (Pé no Chão, Carapinha no Céu), gravado por General D & os Karapinhas e produzido por Jonathan Miller, onde participam vários músicos convidados, como Marta Dias, Sam ou Boss AC. Contrariamente ao PortuKkkal É Um Erro este disco é bem recebido, registando um enorme sucesso com o tema Black Magic Woman que conta com a participação vocal de Sam e que entra de imediato para os tops nacionais. 
Em 1997, após dois anos de estrada, dentro e fora de Portugal, General D edita o segundo álbum Kanimambo (Obrigado), com produção de Joe Fossard que também colaborou com Ithaka ou Mind Da Gap.
General D deixa Portugal em 1999. Durante quinze anos concentra-se noutras vertentes da sua vida, viaja em Moçambique, em Angola, na Nigéria, no Brasil e nos Estados Unidos da América, fixando-se depois em Inglaterra. O projecto concretiza-se na criação do Mella Center, em Londres/West Kensington, um centro (mall) que promove a cultura africana e da diáspora, em todas as vertentes, tradicional e urbana, e em todas as suas expressões; música, cinema, gastronomia, vestuário, ou qualquer outra manifestação do povo africano. General D regressa aos palcos em 2014 com um espectáculo de lançamento marcado no dia 28 de Junho, em Lisboa, no Largo do Intendente (Lisboa Mistura/Festas da Cidade de Lisboa). O espectáculo conta com a participação de vários companheiros: General D (voz), João Gomes (teclas. direcção musical), Renato (baixo), Nir Paris (bateria), Djipson (guitarra), Galiano Neto (congas). Convidados: Bambino, Batoto Yetu, Boss Ac, Chullage, Family, Janelo (Kussondulola), Marta Dias, Maimuna Jalles, NBC, Praguinha, Sam, Selma Uamusse, Shaka, Valete, Ynna.
DISCOGRAFIA
General D — PortuKkkal É Um Erro (EP, EMI, 1994)
Pé na Tchôn, Karapinha na Céu — "General D & os Karapinhas" (CD, EMI, 1995)
General D — Kanimambo (CD,EMI, 1997)
Entrevista — General D à Antena 3 (2014) 
 Entrevista — General D à Alta Voltagem (por: Rui Unas) (1996) 
 General D & Funk N Lata - Sobi Esse Pano, Mano (1998) 
PAGINA FACEBOOK DO GENERAL D
Talvez também possa gostar dos seguintes post's: (Carrega Nas Imagens) 
 
 Rap Brasil (História)
              
                     Cabo Alliance (Download)
              
                   Raiz do Rap Tuga
              
                    Rap Kriolo (História)
              
                    General D (EP Download)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Raíz do Rap Tuga — (2016)

Documentário sobre as origens do Hip-Hop Português, produzido por: Márcio Rosa.
Para o primeiro post do blog, decidi partilhar este excelente documentário "Raíz do Rap Tuga" sobre as raízes, as origens, o começo do Hip Hop e do Rap português, com testemunhas como: General D, Bambino (Black Compagny), Lideres Da Nova Mensagem "LDN", Pump G, Hernani Miguel, Sanryse, PSK, Bdjoy & Makkas "Black Company". Eles falam do inicio do movimento Hip Hop em Portugal meios/fim dos anos 80', também podemos ver fotos, videos, videoclips como o primeiro videoclip do General D (1993). Com especial foco na Margem Sul, concretamente na zona de Miratejo e Almada.
Fiquei a saber igualmente neste documentário que o General D, antes de lançar o seu primeiro EP, em 1994, ainda tinha criado o grupo "3 Ilegais", com o Bambino e o Makkas, o Makkas fala de 92, 93...podemos ver igualmente esta foto dos "3 Ilegais", sera uma cover de uma maquete??!! sera que ainda chegaram a gravar algo juntos??!! gostaria imenso de saber mais sobre os '3 Ilegais'.
Documentário Completo 1 hora e 23 minutos, disponivel em HD.
(Este documentário foi partilhado atravès do canal YOUTUBE: RITUAL.)
Talvez também possa gostar dos seguintes post's: (Carrega Nas Imagens) 
 
Apresentação ANR.2
                
                     Rap Brasil (História)
              
                   Rap Crioulo (História)
              
                  General D (Biografia)
                
                     General D (EP Download)

Apresentação do blog — "As Nossas Raizes Vol.2"

Apresentação do blog "As Nossas Raizes Vol. 2"
(+Simples +Completo +Conteúdo Hip Hop !!)
Boas pessoal, hoje dia 22 de Fevereiro de 2017, venho apresentar, e anunciar a abertura do meu 3° blog "Hip Hop", que vai ter o nome de — As Nossas Raízes Vol. 2. Depois de ter abandonado o blog — 'As Nossas Raizes' em 2015, ainda abri um novo blog "Tapes Download" (2015-2016), principalmente dedicado a partilhas de cassetes old school Rap francês e americano (continua online). Neste novo ano 2017 decidi então abrir este novo blog "As Nossas Raizes Vol 2", onde vou partilhar todo ou quase todo o conteúdo (old school) do blog "As Nossas Raizes 1" (2010-2015) e do blog "Tapes Download", e muitas, mas muitas outras surpresas ;). Neste novo blog tenho a intenção de começar mesmo pelas raízes (pelo início) da história do hip hop - Rap - tuga, brasileiro, angolano, moçambicano, françês, (e em bonus neste novo blog, nova rubrica dedicada ao Rap Crioulo), também vou partilhar tapes (cassetes Rap & RnB USA Old School). Decidi criar um blog ainda mais simples (que no princípio ainda vai estar em modificações..), para facilitar a "busca" na net, em certos paises, ou em certas zonas. Quero dar mais conteúdo aos antigos posts com mais informações sobre os artistas, sabendo que hoje em dia com as imensas entrevistas, e biografias dos artistas, fica mais fácil de apresentar os posts e os artistas como se deve. Também porque descobri recentemente uma nova plataforma do "soft free studio" onde consigo melhorar a qualidade audio dos antigos CDS, (dar mais bass, mais som a voz, etc...), então como tenho andado a melhorar vários desses velhos álbuns e cassetes para uma qualidade de som 320kbs, (também vou organizar todas as playlists desses velhos álbuns (nomes dos artistas, featurings, álbum, etc), meter a capa de cada álbum, integrada nos leitores media player e etc, dessa forma, ao meterem esses velhos álbuns nos vossos novos smartphones, iphones e mp3 (ipod's etc), terão uma melhor qualidade de som, mas igualmente a imagem dos álbuns integrada nos leitores). Decidi abrir este novo blog e partilhar com todos os antigos seguidores do blog A.N.R. e com manos e manas que gostam de recordar (ou que querem conhecer) as raízes e os bons velhos tempos do nosso hip hop. Como quero dedicar os primeiros post's do blog à velha escola, decidi dar um grande espaço no lado direito do blog, para ir partilhando diariamente novidades do que se passa, com video clips, álbuns, mixtapes, Ep's (disponibilizados pelos artistas), playlist's, Eventos, etc... sem ter que fazer post's nas páginas do blog.
Peace... David Miguel. (comecem já a pensar em comprar novos discos duros ^^)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...